horinda-clementine-lu-paternostro-noias

Pinturas-objetos. “Horinda Clementine” (P099)
Técnica mista sobre painel. 30x05x30 cm(CxAxL)
Lu Paternostro


Horinda Clementine

Ela vive no meio de divertidos bobõezinhos coloridos, porém recatados. Um deles tem uma incrível vontade de gritar! E qual será? Todos estão ligados a ela. São suas formas de pensamento, com grandes olhos, que olham para tudo o tempo todo.

Sorriem, dizendo que está tuuuuudo bem! Ela e todos brilham porque estão totalmente conectados com inúmeras outras dimensões.

Tudo nela vibra cor: a as “mesas-olho”, as testemunhas abstratas, que tudo observam!
As mesas são antenas, que voam e giram e captam até o que não vemos!
Os olhos são profundos, vivos e a protegem! Sempre. Até estarem aí.

Se você queimar a tela em que a Horinda mora, você queima todas as mesas-antenas do mundo!
Só se consegue ouvir as “mesas-olho” quando atingimos essas outras dimensões.

Esse movimento intenso e incrível, cria milhões de pequenas e quase transparentes flores, que seguem livres. São vazias, ocas, leves para ir bem loooonge, pelo universo, navegando suaves para outras nações que a podem perceber.
As flores são os elementos que conectam tudo.

E a Clementine?
A Clementine está nos olhos da Horinda, como uma outra pessoa. Seu terceiro olho está no coração. E a Clementine a observa!