Muito complexa e cheias de altos e baixos, a história dos judeus é uma das mais intrincadas que pude ler. Um provo que sofreu demais, mas que se reinventou, renasceu de todos os incidentes, sempre mantendo sua fé na senda, aceitando sua saga.

os-judeus-lu-paternostro
Ilustração “Judeus e a dança Hava Nagila Medley”, da série “Imigrantes Brasileiros”.
Copyright Lu Paternostro. Proibida cópia, uso ou reprodução desta imagem sem a autorização da artista.
PARA ADQUIRIR ESTÁ IMAGEM, CLIQUE AQUI.

Complementando a série das danças tradicionais, na sua maioria estas são em grupos e bem vigorosas. Em algumas danças, os homens se vestem de preto, de preto e branco ou terno preto. Na cabeça ou um quipá (aquela pequena boina no topo da cabeça, utilizado tanto como símbolo da religião como de temor a Deus) ou um chapéu de abas largas.

Já as mulheres se vestem de branco, ou algo discretamente colorido, ou o azul e branco, cores da bandeira de Israel, mas sempre em vestidos ou saias longas e lenço nas cabeças. As veze levam um xale em suas vestimentas.


projetos-especiais-para-empresas-lu-paternostro

Há danças só de homens e só de mulheres, mas na maioria, homens e mulheres dançam juntos. Tudo é muito singelo e sempre com os pés no chão. Nos grupos para folclóricos as vestimentas se enriquecem e podem até se descaracterizar. 

A mais famosa dança tradicional é a Hava Nagila Medley.

A Dança Hava Nagila Medley

Hava Nagila é uma canção folclórica hebraica cujo título significa “alegremo-nos”. É uma música de celebração muito popular entre os judeus. Não há um casamento ou um bar mitzvá (na religião judaica, o menino que, no seu 13º aniversário, atinge a maioridade religiosa, passando a ter a obrigação de cumprir os preceitos religiosos) em que ela não seja tocada, cantada ou dançada.

A canção surgiu em 1918 para manifestar a alegria com a libertação de Jerusalém em dezembro de 1917.



Para a imagem, usei o azul e branco para a mulher e uma roupa mais enfeitada, como a de alguns grupos para folclóricos para o homem.   Os homens não vestem nada de cores – o rosa da camisa e as flores no vestido dela, são uma “licença poética”.

Nas cores do fundo, quebrando a sutileza dos tons das figuras do primeiro plano, optei pelos carmins, rosas e vermelhos, em cores vivas, alegres, vibrantes, que contrastam com a simplicidade das vestimentas mais tradicionais. Representam as próprias danças e seus ritmos muito animados e vigorosos.

A Torá (pentateuco), o livro sagrado dos Judeus e a Menorá o castiçal de 7 velas, que representa, junto com a Estrela de David, um dos símbolos do Estado de Israel.

______________

Por Lu Paternostro

NOTA LEGAL: Proibida a reprodução total ou parcial sem autorização expressa dos autores.