Os Mundos intrincados

Texturas que contam histórias. Histórias que contam desenhos.

A GRANDE FORMA. ABSTRATA DE LONGE. FIGURATIVA DE PERTO.  

O que chamo de mundos intrincados é um tema que desenvolvo há muito tempo.
Sempre tive vontade de criar e contar histórias.
O desenho é a forma de expressão que adotei por poder unir o literal à plasticidade dos materiais
e o gestual dos traços.

Com meus desenhos busco suscitar a curiosidade do observador, envolvendo-o nas situações, fazendo-o descobrir no meio da textura-figura, cenas inusitadas, enredadas com outras, aparentemente sem fim. Minha opção para isso é o suporte sempre grande e os detalhes sempre pequenos.

Inicio meus trabalhos com planejamento, traçando linhas e idealizando locais onde nascerão “mundos intrincados” para, após algum tempo absorta na produção, perceber que criei algo diferente do planejado, me surpreendendo com o resultado. 

Isso me alimenta. É uma descoberta a cada traço e uma surpresa a cada retomada do trabalho. 

 

Nesse momento percebo que os mundos intrincados têm organização própria. Têm vida… 
É divertido demais!

Meu desenho é um canal que me possibilita refletir a vida, minha maior inspiração.

A vida não é sempre do jeito que a gente quer. É ela quem desenha a cada dia os mundos intrincados, vidas entrelaçadas a tantas outras vidas, formando um desenho maior, um universo que nasce do entrelaçamento.

Dependendo da distância do observador, outros desenhos ou vidas se revelam, e assim, vivendo, vamos desenhando a vida ou sendo desenhados rumo aos nossos destinos, criando a textura das histórias… que contam desenhos.